Pesquisa sobre Ácido Fólico

A pesquisa abaixo é o resultado do trabalho da disciplina de Pesquisa e Análise de Mercado do curso de Gestão Empresarial com Ênfase em Marketing da Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba e foi realizada entre março e maio de 2011.

Ácido Fólico, você conhece?

Foram entrevistadas aproximadamente 1800 pessoas na região, com o intuito de avaliar o grau de conhecimento da população sobre malformações congênitas e a importância da prevenção através do ácido fólico ou vitamina B-9.

Agradecemos a Direção da FATEC Indaiatuba e todos que participaram desta pesquisa. A coordenação do trabalho ficou a cargo do Prof. Virgílio Itaiuti Panzetti.

Veja também a Pesquisa sobre Doação de Órgãos. clique aqui

Pesquisa

Mediante a questão levantada pelo baixo consumo de Ácido Fólico na dieta habitual do ambiente familiar, com maior ênfase para as mulheres em idade de gestação, buscamos explicar os reais motivos que leva a falta de alimentos ricos em vitamina B9, sendo que a falta destas vitaminas no seu regime diário pode provocar deformações no tubo neural do feto no período de gestação.
Avaliar o grau de conhecimento da população de Indaiatuba sobre malformação fetal e a importância da vitamina B-9 para sua prevenção.
- Identificar quais as causas da ausência da vitamina B9 no organismo humano.
- Identificar quais as fontes de ácido fólico nos componentes da dieta.
- Identificar as falhas no processo de divulgação.
- Avaliar se a população de Indaiatuba tem conhecimento do que é malformação fetal.
- Aferir se a população tem conhecimento que o uso da vitamina B-9 ou ácido fólico diminui a incidência de malformação fetal.
Exploratória.
Método quantitativo.
Aleatória simples.
Aproximadamente 1800 pessoas.
Homens e mulheres a partir de 15 anos.
GABRIEL – Grupo de Atuação Brasileiro para Realização de Transplantes Infantis e Estudos do Tubo Neural.
Malformação genética pela insuficiência de acido fólico
Turma do 5º semestre (ênfase em marketing).
Março / Maio de 2011
A GABRIEL (Grupo de Atuação Brasileiro para Realização de Transplantes Infantis e Estudos do Tubo Neural) foi fundada em 1999, com o intuito de incentivar a doação de órgão e tecidos, além de esclarecer os benefícios da ingestão de ácido fólico (Vitamina B-9) como forma de Prevenção a um problema gestacional específico.

A GABRIEL tem como um dos objetivos informar e instruir mulheres em idade fértil sobre possíveis doenças e malformação fetal, além de incentivar a doação de órgão e tecidos para a população de Indaiatuba e posteriormente ampliar sua atuação no restante do estado e do país. Outro papel desempenhado pela GABRIEL é a divulgação e orientação em postos de saúde, clínicas médicas, hospitais e escolas.

No dia 14 de março de 2011, em reunião com a Senhora Maria Inês Toledo de Azevedo Carvalho, Presidente e o Senhor Valdir de Carvalho, Diretor Executivo, representando a GABRIEL, conversamos a respeito de um problema gestacional pouco conhecido, chamado de defeito do tubo neural ou DTN e as formas de prevenção para as gestantes.

DTN - Defeito do Tubo Neural - O defeito do tubo neural é uma malformação que ocorre entre a terceira e quinta semana da gestação. Essa anomalia reduz os níveis de sangue do feto podendo causar anencefalia.

É uma malformação fetal que acontece entre o 24º e 28º dia de gestação. Durante a gravidez, o organismo feminino sofre modificações para se adequar à nova vida que está em formação. O volume sangüíneo sofre modificações caindo abaixo dos níveis não gravídicos. Ocorre então a queda do folato. Quando esses níveis atingem um nível crítico, o feto fica exposto ao risco de anomalias fetais, dentre elas o Fechamento do Tubo Neural. Nesses primeiros dias da gestação a placa neural se fecha, formando o tubo neural. O fechamento precoce incompleto resulta em encefaloceles e mielomeningoceles (espinha bífida) e o fechamento tardio resulta em anencefalia (ausência de cérebro), sendo esta última, incompatível com a vida. No Brasil a cada 800 nascimentos, uma criança apresenta DTN.

O encontro teve como objetivo abordar a doença, esclarecer dúvidas dos ouvintes a respeito da anomalia e principalmente expor quais os tratamentos capazes de reduzir a possibilidade de DTN. Para que possamos começar a pesquisa e quanto às pessoas sabem sobre a DTN. Os dirigentes da Ong. trouxeram alguns dados para comprovar a eficácia das formas de prevenção.

De acordo com GABRIEL, pesquisas realizadas nos EUA, no início da década de 1990 levaram o serviço de saúde pública do país a recomendar a ingestão de 0,4 mg. de ácido fólico por dia para todas as mulheres em idade fértil para reduzir a incidência de gestações com Defeitos do Tubo Neural.

Ainda segundo a GABRIEL, o ácido fólico é encontrado nas verduras de cores verde-escuro, como aspargo e brócolis. Mas também pode ser encontrada em outros alimentos como leite, feijão, amendoim e fígado.

Incidência - As estatísticas apontam que a cada 1000 nascituros, 1,8 sofrem de problemas congênitos. Os EUA são o país com menos incidência da anomalia (1 a cada mil nascimentos), enquanto a China é o país com mais incidências de casos (136 a cada 1000).

Legislação. Segundo Maria Inês, na cidade de Indaiatuba em 2008, foi instituída uma lei que garante as mulheres em idade fértil a terem a cesso as informações e a prevenção da DTN.

Após a aplicação do questionário e a tabulação dos resultados passamos para a confecção do relatório final da pesquisa.

No Apêndice 1 encontra-se o questionário que foi utilizado e no anexo 2 as cidades dos entrevistados.

Agora segue nossas impressões sobre o resultado da pesquisa, comentários e análise das questões.

Relatório baseado em aproximadamente 1800 pessoas.

A primeira questão conforme o gráfico 1, com 1718 pessoas revela que a pesquisa foi realizada com uma amostra composta por um número de homens bem inferior ao das mulheres.

Gráfico - 1 – Sexo

Fonte – Autor (1718 respostas)

A segunda questão era relativa à idade, 1748 pessoas responderam essa questão.

A maioria das pessoas que responderam a pesquisa está na faixa entre 16 a 35 anos de idade e com menos de 15 anos não houve nenhum entrevistado, conforme podemos observar no gráfico 2.

Gráfico - 2 - Idade

Fonte – Autor (1748 respostas)

Na questão número 3, percebemos que a maioria dos entrevistados não sabe o que é Acido Fólico, e uma parcela considerável possui conceito errado sobre o que é.

Apresentado no gráfico 3, com respostas de 1801 pessoas.

Gráfico - 3 – Ácido Fólico

Fonte: 5º semestre marketing | Base: 3.075

Como visto na questão número 3, a maioria não possui um conhecimento sobre esse ácido, não é surpresa, portanto, o desconhecimento dos alimentos fonte de ácido fólico, pergunta feita na questão 4, respondida por 1770 pessoas, conforme gráfico 4.

Gráfico - 4 – Conhecimento sobre o assunto

Fonte – Autor (1770 respostas)

Metade dos entrevistados nunca tinha ouvido falar sobre ácido fólico, esta é a pergunta da questão numero 5, respondida por 1797 pessoas, isso apenas reforça tudo que foi abordado até o momento. Como demonstrado no gráfico 5.

Gráfico - 5 – Conhecimento sobre o assunto

Fonte – Autor (1797 respostas)

Na questão número 6, percebemos uma contradição relacionado ao tema ácido fólico, conforme gráfico 6, a maioria dos entrevistados já ouviu falar sobre malformação fetal, sem saber sobre o que é ácido fólico, conforme a resposta de 1789 pessoas.

Gráfico - 6 – Você já ouviu falar em malformação fetal?

Fonte – Autor (1787 respostas)

Na sétima questão perguntamos. Em sua opinião por que muitas pessoas não doam órgãos? O principal motivo da não doação é a falta de informação com 54%, o medo é responsável por 28% e 11% dos entrevistados disseram que não doariam por egoísmo. Como podemos observar na Figura 7.

Gráfico - 7 – Você sabe o que é malformação fetal?

Fonte – Autor (1841 respostas)

Uma porcentagem considerável respondeu que nunca viu em nenhum meio de comunicação informações sobre malformação fetal ou ácido fólico, em resposta a questão número 8, conforme gráfico com o mesmo número. Aqueles que já viram, a maioria foi pela internet.

Gráfico - 8

Fonte – Autor (1869 respostas)

Na questão número 9 pudemos observar que 81% dos entrevistados responderam negativamente, conforme demonstrado no gráfico 9.

Gráfico - 9

Fonte – Autor (1812 respostas)

Na questão número 10 nosso interesse foi descobrir qual o conhecimento das pessoas entrevistadas sobre anencefalia e espinha bífida. Dos entrevistados apenas 14% sabiam que anencefalia e espinha bífida são malformações fetais provenientes da falta do ácido fólico. Como observamos no gráfico 10.

Grafico - 10

Fonte – Autor (1800 respostas)

O resultado da questão número 11, mostrou que não há divulgação em postos de saúde ou em outros lugares em Indaiatuba, visto que 90% dos entrevistados responderam nunca terem visto, conforme gráfico 11.

Gráfico - 11

Fonte – Autor (1797 respostas)

A questão número 12, permitiu descobrir que apenas um quarto dos entrevistados sabe da importância do ácido fólico para a formação do feto, conforme gráfico 12.

Gráfico - 12

Fonte – Autor (1796 respostas)

Com a questão 13, vê-se que os médicos devem orientar seus pacientes sobre os tipos de malformação fetal possíveis e mais freqüentes, já que 90% responderam nunca terem ouvido o assunto ser mencionado por seu médico. Conforme gráfico 13.

Gráfico - 13

Fonte – Autor (1761 respostas)

A maioria dos entrevistados revelou não conhecer as causas da malformação fetal, comprovando os resultados anteriores quanto ao conhecimento do ácido fólico. Conforme as respostas da questão número 14, demonstrado no gráfico 14.

Gráfico - 14

Fonte – Autor (1796 respostas)

Na questão 15 perguntamos sobre a ingestão de acido fólico por gestante. Apenas 26% dos entrevistados disseram saber que a ingestão de ácido fólico por gestantes ajuda na prevenção de doenças como a malformação fetal, conforme gráfico 15.

Gráfico – 15

Fonte – Autor (1884 respostas)

Como o esperado, em comparação com os resultados anteriores, a maioria também não sabe quais as formas de prevenção à malformação fetal, essa foi a questão de numero 16, apresentado no gráfico 16.

Gráfico - 16

Fonte – Autor (1774 respostas)

Na questão 17, perguntamos sobre a orientação dos profissionais de saúde sobre a importância da vitamina B9. Descobrimos que os profissionais da saúde não orientam a importância da vitamina B9 para a prevenção de malformação, já que, 84% disseram nunca ter sido alertado pelos mesmos, conforme o gráfico 17.

Gráfico - 17

Fonte – Autor (1782 respostas)

Na questão de número 18, queríamos conhecer a classe social dos participantes da pesquisa, por esse motivo utilizamos o critério Brasil, conforme o gráfico 18.

Gráfico – 18

Fonte – Autor (1795 respostas)

Ao término da pesquisa e analisando todas as questões que envolveram, pode-se observar que a maioria dos entrevistados não possui conhecimento sobre o tema e uma pequena parte demonstra um conhecimento mínimo do assunto.

Várias perguntas confirmam nossa teoria, podemos observar isso mais claramente na pergunta 14, onde 69% (uma parcela considerável dos entrevistados) disseram não conhecer as causas da malformação fetal.

A pesquisa ainda revela que há uma deficiência quanto à divulgação do assunto por parte dos profissionais da saúde, a pergunta 13 retrata bem isso onde 90% dos entrevistados disseram que seus médicos nunca mencionaram os tipos de malformação fetal.

O tema não recebe a atenção que deveria receber, não é abordado nem divulgado da forma necessária em postos de saúde ou outros lugares públicos, nem mencionado, comentado, ou alertado de maneiras precisas por parte dos médicos, conseqüentemente a população possui um conhecimento deficiente em relação ao assunto.

Esta pesquisa demonstra que é necessário uma campanha de divulgação sobre a importância do ácido fólico (vitamina B9) na alimentação das mulheres em idade fértil, principalmente nas gestantes. Desta forma, evitar ou no mínimo tentar prevenir a malformação fetal (DTN). Acreditamos ser necessário à conscientização, não só da população em geral, mas principalmente dos profissionais da área de saúde: Em postos de saúde, hospitais e todos os locais onde exista atendimento médico, não importando se hospitalar ou ambulatorial, incluindo uma campanha utilizando todas as mídias possíveis tanto na internet, com as redes sociais, até a mídia de massa como o rádio e a televisão, pois assim teremos um alcance maior sobre um tema tão importante.

Pesquisa ácido fólico - Questionário

Cidade: _______________

Sexo:

Masculino Feminino

Faixa Etária:

Menos de 15 de 16 a 20 de 21 a 25 de 26 a 35 de 36 a 50 mais de 50

O que é ácido fólico?

Vitamina Esfoliante antiacne Componente de pílula anticoncepcional Não sei

Você sabe quais alimentos são fontes de ácido fólico?

Sim Não

Você já ouviu falar em ácido fólico antes desta pesquisa?

Sim Não

Você já ouviu falar em malformação fetal?

Sim Não

Você sabe o que é malformação fetal (Defeito de Tubo Neural)?

Sim Não

Se sim, você já viu em algum meio de comunicação informações a respeito sobre malformação fetal ou ácido fólico?

Jornal, revistas Internet Televisão Livros Não

Você conhece casos em sua família ou comunidade de malformação fetal?

Sim Não

Você sabia que anencefalia e espinha bífida são malformações fetais provenientes da falta do ácido fólico?

Sim Não

Você já viu em Postos de Saúde ou em outros lugares em Indaiatuba informações sobre malformação fetal e ácido fólico?

Sim Não

Você sabia da importância do ácido fólico para a formação do feto?

Sim Não

Seu médico alguma vez mencionou  os tipos de malformação fetal  possíveis e  mais frequentes?

Sim Não

Você conhece alguma causa da malformação fetal?

Sim Não

Você sabia que a ingestão de acido fólico por gestantes ajuda a prevenir doenças como a malformação fetal?

Sim Não

Você sabe quais as formas de prevenção á malformação fetal?

Sim Não

Já foi orientado por algum profissional da saúde da importância da vitamina B9 para a prevenção de malformação?

Sim Não

 

QUANTIDADE DE ITENS

 

0

1

2

3

4 OU MAIS

TV EM CORES

 

 

 

 

 

RÁDIO

 

 

 

 

 

BANHEIRO

 

 

 

 

 

EMPREGADA MENSALISTA

 

 

 

 

 

CARRO

 

 

 

 

 

MAQUINA DE LAVAR

 

 

 

 

 

DVD

 

 

 

 

 

GELADEIRA

 

 

 

 

 

FREEZER OU PARTE DA GELADEIRA DUPLEX

 

 

 

 

 

Grau de Instrução do chefe de família

( ) Analfabeto - Primário incompleto Analfabeto - Até 3ª. Série Fundamental
( ) Primário completo - Ginasial incompleto Até 4ª. Série Fundamental
( ) Ginasial completo - Colegial incompleto Fundamental completo
( ) Colegial completo - Superior incompleto Médio completo
( ) Superior completo Superior completo

Cidades dos pesquisados. número de pessoas
Indaiatuba 538
Itu 169
Campinas 138
Salto 111
Sorocaba 91
Jundiaí 62
São Paulo 20
Hortolândia 6
Valinhos 5
Piracicaba 4
Cabreúva 4
Monte Mor 4
Capivari 4
Elias Fausto 4
Sumaré 3
São Roque 2
Paulínia 2
Itupeva 2
Franca 1
Mairinque 1
Cardeal 1
Boituva 1
Vinhedo 1
Pelotas 1
Americana 1
Porto Feliz 1
São José S/c 1
Nova Odessa 1