Projeto Hepatite Zero

Hepatite C, você sabe se tem? A prevenção salvando vidas!
O projeto envolve a ação que viabiliza diagnóstico precoce da hepatite C

Análise Situacional

A hepatite C é considerada hoje a maior epidemia da humanidade, superior à AIDS/HIV em 5 vezes. Estima-se que haja no mundo, cerca de 200 milhões de pessoas que carregam o vírus da hepatite C.  
Segundo a ABPH – Associação Brasileira dos Portadores de Hepatite, a transmissão acontece por contato sanguíneo, via transfusões, dentistas, seringas compartidas, alicates de cutícula, etc. Ela não é considerada uma DST (Doença Sexualmente Transmissível) a menos que haja sangramento mútuo.

O vírus HCV possui a capacidade de destruir o fígado de uma pessoa por cerca de 20 anos, sem que haja qualquer sintoma ou sinal da doença.


Justificativa

A Hepatite C mata mais de duas mil pessoas por ano no Brasil. Ainda não existe vacina para o vírus HCV, mas existe tratamento. Por isso é importante prevenir o contágio, informando sobre os riscos e testando a população para o diagnóstico precoce e encaminhamento para os serviços de saúde, antes que a doença se torne crônica.
A hepatite C é a principal causa de transplantes de fígado, respondendo por 40% dos casos. Pode causar cirrose, câncer de fígado e a morte do portador.
Durante a Convenção de Toronto em 2014, cientistas declararam que todas as formas da doença poderão ser erradicadas de 15 a 20 anos, se a sociedade e os governos se mobilizarem para isso.

No Brasil a meta do Ministério da Saúde é erradicar o vírus até o ano de 2030. Para isso é necessário testar a maior parte da população.


Segundo o Ministério da Saúde, existem cerca de 3 milhões de brasileiros infectados pelas hepatites virais, sendo que na década de 2000 a 2010 foi registrado o óbito de 37 mil pessoas pela doença. A Hepatite C é a que mais mata, sendo responsável por 70% dos óbitos ocorridos, além disso, um a cada três transplantes de fígado ocorrem por complicações da Hepatite C.
A boa notícia é que 90% dos casos de Hepatite C tem tratamento. Com o diagnóstico precoce há chance de impedir que a doença progrida. Por isso é importante que população faça o teste. A transmissão pode ocorrer ao compartilhar utensílios como aparelhos de barbear, alicate de cutícula, agulhas e por material não esterilizado na colocação de piercing, tatuagem ou qualquer ou procedimento cirúrgico realizado em ambiente não estéril.
Pessoas que receberam transfusão de sangue antes de 1993 também devem ser testadas.

Objetivo

Ampliar as campanhas ano a ano, levando as ações para locais públicos, estabelecimentos de ensino, empresas, etc., com a finalidade de informar e testar mais pessoas, principalmente indivíduos acima de 40 anos e/ou com tatuagem.
As ações acontecem em parceria com a ABPH – Associação Brasileira dos Portadores de Hepatite que fornecem os kits para realização dos testes.

Parceiros na Ação

Qualquer interesse de sua parte em participar desse projeto, ou leva-lo para sua empresa ou comunidade, pedimos que entre em contato conosco. Temos o plano de marketing relacionado a causa, o material de divulgação (Camisetas, Flyer's, etc) e os resultados dos anos anteriores.

GABRIEL

A GABRIEL também está presente nas principais redes sociais para você ter alcance as informações mais recentes de nossas ações, campanhas e de nossos eventos. Não deixe de visitar o nosso Blog.

Rua dos Andradas, 969
Indaiatuba - SP - Brasil
CEP: 13334-020

info@gabriel.org.br

+55 (19) 3801-2047